Em destaque

Você não precisa de rótulos. Só precisa ser.

Quantos filtros mais teremos que usar para esconder as espinhas na foto?

Quanta base mais clara precisaremos usar pra branquear o rosto?

Quanta tinta usaremos mais para clarear o cabelo ou escurecer?

Quantas roupas deixaremos de usar porque estamos acima do peso?

Quanto contorno no rosto precisaremos usar para afinar o nariz e aumentar a boca?

Desde muito cedo nos é imposto um padrão… para mulheres principalmente, cabelo liso, pele limpinha, barriga chapada. Podemos ter curvas, mas não barriga, celulite, flacidez

Na televisão, nas revistas, nas passarelas, corpos “perfeitos”. E no espelho? Um corpo totalmente oposto àquela “perfeição”.

Se a mulher é magra a sociedade lhe empurra a ideia de que ela deve ter curvas. Magreza demais só é bom na passarela. Mulher tem que ter peito, bunda, coxas… Do contrário não é sexy, nenhum homem vai querer… Aí dá-lhe cirurgia plástica, academia, suplementos, remédios, anabolizantes…

Mas se a mulher é gorda, Seu corpo é totalmente inaceitável. Não pode gostar de si mesma como ela é. Espera-se que esteja sempre de dieta ou se sentindo culpada por comer.

O tal padrão não nos representa, as poucas mulheres que tem um corpo aproximado daquilo que é imposto (magras+ altas+ rosto harmônico) usam e abusam dos truques de “beleza” para aparentar ter mais curvas, busto maior e mais glúteo ou até se submetem a cirurgias plásticas, tudo por um padrão que NÃO EXISTE.

O problema do padrão de beleza é esse: NUNCA estamos boas o suficiente para ele, sempre estaremos  olhando para nossas características que consideramos defeitos e nos pondo pra baixo. Adiando nosso amor próprio para depois de alcançar o “corpo ideal”, só que ele simplesmente não existe!

E quanto tempo mais passaremos por isso?

Corremos atrás de um sonho inatingível, baseado em ilusões e passamos a vida toda nos odiando por ele nunca se tornar realidade.

A falta de autoestima reflete em todos os aspectos da vida: relacionamentos, carreira, saúde física e mental, integridade, segurança, tudo! Por não se amarem como são, mulheres se submetem todos os dias à relacionamentos abusivos, muitas vezes envolvendo até agressões físicas, acreditando que aquilo é o máximo que merecem…

Deixam de investir nas mais diversas profissões, viagens e sonhos (com possibilidades reais de se realizarem) por não acreditarem ser boas o suficiente para isso… Muitas desenvolvem distúrbios alimentares gravíssimos como anorexia, bulimia e compulsão por comida.

Depressão, ansiedade nos assolam diariamente por medo de não ser suficiente pra alguém.

 Se a gente for falar de cor de pele, idade, classe social… a lista não tem fim! E embora padrões afetem também os homens, são imensamente mais cruéis com as mulheres.

Precisamos muito falar nesse assunto muitas e muitas vezes ainda, e não basta o debate ficar só entre mulheres empoderadas e bem resolvidas, que já estão no processo de auto aceitação. Isso tem que ser dito em todos os ambientes, para todas as pessoas! Chega de nos submetermos a padrões, a modismo, chega de objetificação.

É preciso que nossas crianças/meninas já cresçam sabendo que são lindas como são e que não precisam correr atrás de uma perfeição que não existe. Que o padrão deveria representar o que a maioria das pessoas reais são, com suas variadas formas, pesos, alturas, cores, cabelos, curvas, marcas, gêneros… e que tudo bem ser do jeito que é. Chega de sermos objetos que se moldam à um ideal cruel, excludente e inatingível.

Chega de digladiarmos nossa auto-estima!

Falo isso para vocês,

E repito isso diariamente pra mim.

– Thalyane Correia

14/02/18  Pela vida das mulheres

Obrigada por ler!

Hospitais

São eles sempre marcados por felicidade e dor.undefined

A cada corredor uma ocorrência.undefined

Para cada pai que perde o filho, uma mãe que dá e ganha a luz!undefined

São lugares atormentados pelas almas desesperadas que foram pela dor, mas não podem voltar.

Querendo sempre mais um consigo levar,

E do outro lado do portal infinito um batalhão a gritar.

– Vá meu filho, sê valente, você está curado!

Sensações

A pior sensação que tem é a de não pertencer.

É abrir as redes sociais e ter a sensação que já viu tudo que tinha para ver.

É abrir o catálago de filmes e já ter assistido tudo que tinha para ver.

E é não conseguir assistir um filme por completo.

É ter a sensação que a noite é você, a lua e as estrelas.

É silêncio

É coração apertado.

É ter a sensação que você é tão grande que não cabe dentro de si.

E essa é a pior sensação que eu tive o desprazer de sentir!

Autoral (15.04.2020)

Não somos nada perante o universo

Eu sou um grão de areia da praia do Leme sobre os automóveis do Rio!

“Não somos nada perante o universo” com brilho nos olhos repito, repito hoje, repito amanhã e repita tu todas as vezes que se sentir grande demais a ponto de ser rude com alguém ou todas as vezes que se sentir pequeno e incapaz.

Te aflige ou te conforta?

Não ser (nada).

Que não existe, que não é significante, que não tem importância, bagatela, zero, branco, preto…

Abrir a janela do quarto e enxergar bem mais do que os muros que te impedem de sair. Não sair e mesmo assim viajar.

Elevar os olhos para cima dos montes, ao infinito.

Deslumbre, brilho azul e voraz que invade o coração de magia em tons de azul.

Com as pontas dos dedos desenhar…um amor celeste, que se perde na poeira estelar.

Eu olho para ti e digo que não sou nada,

A terra em comparação ao sol é um ponto azul, e eu? eu não sou nada!

O sol sendo 109 vezes maior que a terra, em comparação com a estrela UY Scuti é só um ponto amarelo, e eu? eu não sou nada!

Existem provavelmente cerca de 2 trilhões de galáxias no universo observável, contendo mais estrelas do que grãos de areia no planeta terra, e eu? eu não sou nada!

A conhecida via Lactea tem cerca de 250 bilhões de estrelas,  6 mil estrelas que se avistam a olho nu da Terra estão na Via Láctea, e eu? não sou nada!

O sentimento de insignificância frente ao universo faz de nós pessoas melhores, capazes de se colocar no lugar do outro, tendo dentro de si humildade para perdoar e brilho nos olhos para sonhar, porque o céu é o limite.

Qual o sentido da timidez se todos nós estamos no mesmo patamar?

Respeitar hierarquias, mas ter consciência que somos humanos capazes, de acertar, errar e ousar.

Nós somos poeira, nós estamos de passagem,a vida começa hoje e termina amanhã, mesmo assim qual a razão de sermos ruins? se temos tão pouco tempo e somos tão pequenos?

Abra a janela, olhe para o céu, veja o quanto é pequeno e se pergunte se vale a pena tudo que você tem feito.

O que você tem feito?

O que te compõe?

Quais são as marcas que te compõe?

Vale a reflexão!

Depois dessa, ainda se sente grande?

Há, é Saudade!

Vivo indagando a saudade se ela me quer bem e ela diz sempre que NÃO, que não gosta de ninguém.

Saudade meu bem, saudade!

Saudade dos que partiram

Saudade dos que partiram dessa para melhor.

Quando eu olho para o céu e desejo alguém, saudade, meu bem, é saudade.

Quando eu avisto uma pulseira colorida no fundo da gaveta, dessas de adolescente e lembro de alguém, saudade meu bem, é saudade.

E toda vez que passo na avenida artéria da capital e avisto um espaço, com letras, números, poesia e penso em alguém, é saudade, meu bem, é saudade.

No crepúsculo quando eu acordo e o primeiro pensamento é você.

Os dias são sempre de sol, mas aqui chove saudade!

É saudade!

É saudade!

30 lições que aprendi antes dos 18!

Aprendi que nada nessa vida é como a gente quer ou como a gente espera.

No post de hoje eu venho listar 30 lições que aprendi antes dos 18 que me ajudaram a evoluir ainda mais e a fazer escolhas sensatas que poderiam mudar o rumo da minha vida a partir de então.

  1. Não troque o estável pelo duvidoso.
  2. Não peça para o tempo passar rápido, aproveite cada fase que está vivenciando.
  3. Não diga que não vale a pena lutar pelo sonho que você tem.
  4. Só você pode escrever sua história, mas escreva a lápis.
  5. Toda vez que se sentir acomodado se arrisque e ouse ir além.
  6. Você pode ter vários amigos, mas nunca coloque eles na frente da sua família por mais que você os ame.
  7. Aproveite ao máximo as pessoas que estão perto de ti, você nunca sabe a hora delas partirem.
  8. Bonito mesmo é ser real, mídias sociais não te definem.
  9. Seja prestativo! todo mundo tem problemas para resolver.
  10. O que se passa na sua cabeça não se passa na do outro, explique sempre.
  11. Faculdade é muito importante, mas não é tudo.
  12. Se orgulhe das tuas paixões.
  13. Cante! mesmo que seja desafinado.
  14. Dance na chuva com os pés descalços.
  15. Manifeste os diversos afetos da tua alma.
  16. Olhe nos olhos.
  17. Preserve os amigos de infância e da escola.
  18. Respeite teus inimigos, eles fazem/fizeram parte da tua história.
  19. Se alimente bem! Isso não tem a ver com poder aquisitivo e sim com o poder de escolha, afinal, o mundo não vai acabar em comida.
  20. SONHE! 24h00 por dia, sonhar nos mantém vivos.
  21. Terapia não é só para quem tem depressão.
  22. Ouça outros estilos musicais, nas quais você não está habituado.
  23. Não tome decisões baseadas nas paixões momentâneas, principalmente as que envolvem seu futuro.
  24. Reconheça o seu valor e o das pessoas a sua volta.
  25. Viaje! Pela casa, pela rua, pelo bairro, pela cidade, pelo país, pelo mundo. Viajar tem a ver com o aprendizado que você adquire em cada lugar que passa e a constante troca de experiências.
  26. Não ignore os conselhos dos mais velhos.
  27. Ouça críticas construtivas, mas desconsidere as críticas de quem nunca construiu algo.
  28. Tire fotos e revele elas, faça um álbum de cada fase da sua vida.
  29. Escreva suas experiências no papel.
  30. Faça um mapa dos teus sonhos, planos, metas e os trajetos.

“É sempre tempo de escrever novas saudades.”

– Thalyane correia

Viver é aprender!

Viva e aprenda como se sua vida fosse infinita.

E divida as experiências com quem gosta… e é isso que eu fiz por aqui hoje.

Beijos e até mais.

– TVC

Morar Fora

Morar fora seja a trabalho ou para estudar é ir levando no peito excesso de coragem (e de saudade).

Preocupação, Ansiedade, Medo da mala ser extraviada, misto de prazer e agonia, “como será que vai ser” essas perguntas invadem o pensamento a todo instante.

Tentar apenas superar a imensa saudade que arrasa o coração, mas que vem junto com as lembranças de momentos únicos. Mala cheia, mesmo que o mais importante não possa ser transportado junto, ir do mesmo jeito.

Saber que a sua família e seus amigos estão torcendo por ti e feliz por você estar “desabrochando” é um conforto. Mas é inegável a tristeza que traz.

Acredite estará inteiro no final e rico de tudo que o dinheiro não compra: saudades escritas e experiências (algumas até dolorosas). Não se preocupe se passar frio ou achar que vai morrer assado no calor (ó que de calor eu entendo). Não se preocupe se o vento soprar forte e querer te arrastar, você conseguirá.

Vai conseguir viver sem aquela fruta que só se encontra na sua terra ou até sem aquele pão fresquinho com manteiga e dois dedos de café na xícara feito só pra ti pela sua mãe. Descobrirá que até sem toddynho vive o homem. Descobrirá também que não é só chimarrão sulista que esquenta, ensopado mato-grossense também. Vai encontrar até mesmo um restaurante que te faça lembrar da sua cidade natal e que não te deixará esquecer das tuas origens.

Um parque sossegado e um novo bar preferido, pode ser que se apaixone pelo lugar que está, pode ser que passe a apreciar vinho francês ou cachaça barata, pode ser que se acostume Pode ser que doa não ir a eventos importantes da família porque está longe, pode ser que encontre um amor, tudo pode acontecer e independente do que aconteça lembre-se que o tempo é rei e cura tudo. Verá que dá para viver sem carro e que não vai adoecer por não comer comida da mamãe. Vai estudar, vai encontrar um emprego, vai encontrar amigos que não imaginou que um dia poderia encontrar e vai descobrir que precisa de muito menos do que imaginava pra ser feliz, sonhando e seguindo estrelas, mas, com o pé no chão.

E quando chegar a hora de voltar (porque sempre chega), o sangue voltará a aquecer nas tuas veias e o coração pulsará mais forte, o caminho que na ida aparentava longo demais vai se tornar cada vez mais admirado. Quando chegar na cidade e avistar a placa de “bem-vindo” no cartão postal da cidade terá a sensação que foi escrito especialmente pra ti, pois nunca se sentirá tão bem-vindo em um lugar como lá, no seu lar.

O sentimento de pertença e o de dever cumprido a flor da pele, por ter sido professor mesmo sendo aluno, por ter ajudado uma vida voltar a sonhar, por ter sido parte fundamental na construção de alguém e isso dinheiro nenhum paga, nem as experiências, nem os sorrisos. Terá deixado seu legado no coração de cada um que conviveu, “é sempre tempo de escrever novas saudades”.

E se serve de conselho aos que ainda não foram, não desista de sonhar, não perca a fé nas pessoas, ainda tem muita gente que precisa de ajuda, tem muitas vidas que estão começando a se construir e que precisa de uma luz, também tem muita gente já construída precisando se desconstruir.
Não fique em dúvida se é certo ou não. Vai, Vai para se encontrar, Deixe para traz os medos, leve fotografias em troca. E não se esqueça.

Não importa onde está e quais as atuais situações que você vive, ouse sonhar. Não ser realista é o primeiro passo para a independência, seja ela financeira, física ou emocional.

Se você tem um sonho lute por ele, mesmo que pareça impossível no momento

-Thalyane Correia – 2017|2018

“Não importa onde esteja, se teus sonhos são do mundo”

As vezes temos que deixar ir embora.

É um tema polêmico de se falar, cês não acham? “Ir embora” parece que é um peso falar isso, o título por si só diz tudo, as vezes temos que deixar ir embora.

Mas você sabe quando chega essa hora? A hora de ir embora é sempre quando a gente investe mais energia do que recebe.

Isso serve pra relacionamentos, amizades e pra onde tu quiser encaixar, mas principalmente para relacionamentos.

Entenda que amor e razão andam sempre de mãos dadas…

Ex: muita gente diz “ah, não estamos felizes agora porque fulano(a) está trabalhando demais, mas daqui 2 anos quando a gente casar vamos ser muito felizes”

Entenda que se você não é feliz agora, qual a lógica de acreditar que daqui 2 anos vai ser? O presente: O amor tem que ser prazeroso no agora, durante a semana, durante um jantar, durante um café, nos momentos que você acha que é incapaz de amar o outro que descobre que cabe mais amor dentro de si do que consegue imaginar.

Se os dois estão se desgastando demais, talvez essa seja a hora de ir embora.

Olhando por outro ângulo, entender que alguém precisa ir embora é ser maduro, maduro a ponto de entender que qualquer pessoa pode ir e vir.

Uma metáfora que eu gosto de usar para falar disso é um passarinho, imagine só.

Metáfora do pássaro: Se você estende a mão para um pássaro pousar já tem consciência de que ele é livre e se quiser voar vai voar, ele fica ali enquanto é confortável, mas se quiser ir embora, abre as asas e voa.

Assim que devemos tratar algumas situações, num relacionamento funciona assim, se está legal, prazeroso, confortável para os dois, ninguém precisa largar, afinal são duas pessoas fazendo uma relação dar certo, não é só uma que deve segurar o taco, são as duas, é equilíbrio. Mas se o peso de uma relação sobra tudo pra uma pessoa, só uma faz por onde dar certo, é sufocante.

E quando a pessoa decide ir embora da vida de outra não deve ser considerado covardia, as vezes não é falta de sentimento é cansaço emocional. E se é mais cansativo do que prazeroso talvez essa seja a hora de partir e a gente sabe quando chega essa hora.

Primeiro post do blog: Sobre mim

Olá pessoas, tudo bem com vocês? Eu espero que sim, hoje vou apresentar pra vocês um pouco sobre mim e sobre minhas intenções por aqui, certo? certo.

Bom… Pra começar, me chamo Thalyane Vitória, sou natural de Cuiabá- MT, escrevo desde os 11 anos (numa outra oportunidade conto como comecei a escrever), sou apaixonada pela vida que levo e a minha distração é observar como as pessoas levam a vida delas.

A idéia do blog veio depois de muitos cadernos rabiscados e muitos dias de reflexão atrás das prateleiras da biblioteca da escola ou foi em uma das minhas viagens para o interior do estado? Essa pergunta eu não sei responder, aliás, acho que não sei responder nenhuma das minhas perguntas, talvez seja por isso que eu gosto de escrever, pra me encontrar…

Tento amarrar uma coisa na outra, experiência e aprendizado, te convido a tomar um café comigo todo dia, mesmo que seja só pra falar bobagem.

Por hoje é só,

Beijos.

Instagram (@thalyanecorreia)

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: