Morar Fora

Morar fora seja a trabalho ou para estudar é ir levando no peito excesso de coragem (e de saudade).

Preocupação, Ansiedade, Medo da mala ser extraviada, misto de prazer e agonia, “como será que vai ser” essas perguntas invadem o pensamento a todo instante.

Tentar apenas superar a imensa saudade que arrasa o coração, mas que vem junto com as lembranças de momentos únicos. Mala cheia, mesmo que o mais importante não possa ser transportado junto, ir do mesmo jeito.

Saber que a sua família e seus amigos estão torcendo por ti e feliz por você estar “desabrochando” é um conforto. Mas é inegável a tristeza que traz.

Acredite estará inteiro no final e rico de tudo que o dinheiro não compra: saudades escritas e experiências (algumas até dolorosas). Não se preocupe se passar frio ou achar que vai morrer assado no calor (ó que de calor eu entendo). Não se preocupe se o vento soprar forte e querer te arrastar, você conseguirá.

Vai conseguir viver sem aquela fruta que só se encontra na sua terra ou até sem aquele pão fresquinho com manteiga e dois dedos de café na xícara feito só pra ti pela sua mãe. Descobrirá que até sem toddynho vive o homem. Descobrirá também que não é só chimarrão sulista que esquenta, ensopado mato-grossense também. Vai encontrar até mesmo um restaurante que te faça lembrar da sua cidade natal e que não te deixará esquecer das tuas origens.

Um parque sossegado e um novo bar preferido, pode ser que se apaixone pelo lugar que está, pode ser que passe a apreciar vinho francês ou cachaça barata, pode ser que se acostume Pode ser que doa não ir a eventos importantes da família porque está longe, pode ser que encontre um amor, tudo pode acontecer e independente do que aconteça lembre-se que o tempo é rei e cura tudo. Verá que dá para viver sem carro e que não vai adoecer por não comer comida da mamãe. Vai estudar, vai encontrar um emprego, vai encontrar amigos que não imaginou que um dia poderia encontrar e vai descobrir que precisa de muito menos do que imaginava pra ser feliz, sonhando e seguindo estrelas, mas, com o pé no chão.

E quando chegar a hora de voltar (porque sempre chega), o sangue voltará a aquecer nas tuas veias e o coração pulsará mais forte, o caminho que na ida aparentava longo demais vai se tornar cada vez mais admirado. Quando chegar na cidade e avistar a placa de “bem-vindo” no cartão postal da cidade terá a sensação que foi escrito especialmente pra ti, pois nunca se sentirá tão bem-vindo em um lugar como lá, no seu lar.

O sentimento de pertença e o de dever cumprido a flor da pele, por ter sido professor mesmo sendo aluno, por ter ajudado uma vida voltar a sonhar, por ter sido parte fundamental na construção de alguém e isso dinheiro nenhum paga, nem as experiências, nem os sorrisos. Terá deixado seu legado no coração de cada um que conviveu, “é sempre tempo de escrever novas saudades”.

E se serve de conselho aos que ainda não foram, não desista de sonhar, não perca a fé nas pessoas, ainda tem muita gente que precisa de ajuda, tem muitas vidas que estão começando a se construir e que precisa de uma luz, também tem muita gente já construída precisando se desconstruir.
Não fique em dúvida se é certo ou não. Vai, Vai para se encontrar, Deixe para traz os medos, leve fotografias em troca. E não se esqueça.

Não importa onde está e quais as atuais situações que você vive, ouse sonhar. Não ser realista é o primeiro passo para a independência, seja ela financeira, física ou emocional.

Se você tem um sonho lute por ele, mesmo que pareça impossível no momento

-Thalyane Correia – 2017|2018

“Não importa onde esteja, se teus sonhos são do mundo”

Publicado por Thalyane Correia

Menina que sou, sobrevivo mulher em meio às confusões que me esclarecem. Gosto de rotina para poder sair dela. Apaixonada pela impermanência da vida e pelo poder redentor do amor, me reinvento a cada instante na busca constante por evolução. É Tatá pra família, Thaly para os amigos e Thalyane de batismo. Mato-grossense de essência firme, tenho fascínio pelo simples e amo fotografar, gosto de rock mas me traduzo na MPB e no jazz. Bem vindos as minhas verdades! Instagram: @thalyanecorreia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: